Páginas

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Fórum Literatura na Escola

A partir de um documento apresentado pela AEILIJ e da convocação da Câmara Setorial do Livro, Literatura e Leitura, dos Ministérios da Educação e da Cultura, organizados pelo Plano Nacional do Livro e Leitura – PNLL -, cerca de 70 pessoas – especialistas do setor, representantes das cadeias criativa, produtiva e distributiva, representantes de professores e bibliotecários – reuniram-se durante os dias 24 e 25 de julho no auditório do MEC em Brasília, para debater o tema LITERATURA NA ESCOLA.

Contando com a colaboração de experiências do Brasil, da Argentina e do Chile, o programa foi dinâmico e enriquecedor ao proporcionar reflexões e diretrizes importantes para o tema em debate. Certamente, como afirmou a Secretária da Secretaria de Educação Básica, Professora Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva, não ficará apenas circunscrito àquele Fórum, mas será um instrumento importante como subsídio ao desenvolvimento das políticas de leitura do MEC.

Leia na seção de ARTIGOS o texto completo da AEI-LIJ e as RECOMENDAÇÕES do FÓRUM LITERATURA NA ESCOLA.


Realizado dentro dos parâmetros ideais do PNLL – busca do consenso, livre debate, atuação conjunta de todas as cadeias do livro – o Fórum, apesar de não ser uma instância deliberativa, redigiu algumas recomendações que sintetizam as principais conclusões dos dois dias de trabalho.
Solicitei publicação de trechos do artigo à escritora Anna Cláudia Ramos, presidente da associação. Conheçam o site e leiam TODOS os artigos. Reflitam, façam campanha e divulguem. A Literatura, alimento para a alma, agradece!
"..estamos aqui para apresentar algumas propostas que poderão contribuir para um resultado mais efetivo na meta de formação de leitores.
[...]
Já está mais do que na hora de resgatarmos nossa voz, outrora perdida nos bastidores da ditadura, e permitirmos que as histórias ganhem vida e que alunos e professores possam ter sentimentos e sonhos. É preciso resgatar e garantir o espaço da emoção e da opinião dentro da escola.
[...]
A literatura precisa ser tão valorizada quanto qualquer outra disciplina. Por que baniram a literatura das escolas? Será que não era mais útil ter literatura nas escolas? Por que será que isso aconteceu? Será por que a literatura é capaz de fazer as pessoas terem senso crítico e entrarem em contato com os grandes questionamentos humanos? Será que é porque a literatura é capaz de suscitar o sonho, o delírio, o encantamento, o novo? Por que não baniram a matemática? Ou a física? Quem sabe a geografia? Por que logo a literatura? Certamente porque ela é capaz de mexer com nossas emoções mais profundas, e a instituição escolar, por natureza, tem sido ao longo dos séculos um espaço da ordem, do ortodoxo e não do paradoxo."

Acredito que o o sonho é possível. Quero que todos sintam o prazer de ler um livro e que entendam a alegria e o desespero de saber que o Senhor Tempo me aguarda sedento e implacável sem me permitir a leitura de mais um. Oh, só mais aquele ali...E então parto, olhando a pilha que deixei para trás, mas ainda vislumbro uma grande briga pela herança de títulos que acumulei com satisfação. É esta a minha esperança.




2 comentários:

Assis de Mello disse...

Oi Fátima !!
Obrigado por seu carinhoso comentário em meu blog. Fico imensamente feliz por saber que meus poemas te tocaram. Fique à vontade para "roubar" a biografiazinha que fiz para o Diversos Afins; incrível aquele blog, né ?.
Estou te "linkando" ao Coisas do Chico.
Beijão,
Chico (Assis de Mello)

ELIANA RIBEIRO disse...

Oi querida.
Já cantava Beto Guedes, na canção Amor de Índio: "Lembra que o sonho é sagrado / e alimenta de horizontes o ato acordado de viver..."
A literatura é este sonho acordado, ampliando horizontes sensíveis, transformadores.

Um grande beijo.
Eliana Ribeiro

PS. Não tenho notícias do Simpósio de Contadores; tenho acompanhado pela comunidade, no ORKUT. Até o momento, nenhuma data foi estabelecida.

Related Posts with Thumbnails