Páginas

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

QUERIDA



Querida, Lygia

Acabo de fechar o seu livro. Ainda está aqui ao meu lado, teimoso, esperando ser guardado. Certa vez, alguém me disse que os livros deveriam circular para que outros lessem. Concordo, menos os meus.



Imagine, querida, se eu, portadora de um mal incurável, a possessividade, poderia me desvencilhar assim tão facilmente desses lugares sagrados onde estão guardadas as histórias que li e vivi. Neste pequeno lugar onde moro, não há mais espaço nem para os que se insinuam e me segredam “leia-me”. Então, fiquei sonhando com um Retiro, não exatamente este na montanha da Ella, Pacífico e Pollux, mas com um que ficasse naquela paisagem da Sicília. Ah, como preciso ver, cheirar e sentir o mar para me acalmar.

Tenho aqui a minha querida embora não a chame assim. Atende por mamãe. Tenho o meu querido, meu filho muito amado. Se você soubesse das dores que tenho sentido toda vez que escapa do ninho. Diria que não é “amor doente”, é 'amor demais'.

Não faço literatura. Não sei “disfarçar minhas preocupações e anseios”, contento-me em ser leitora. Como eu gostaria de “ser capaz de dramatizar na escrita os próprios problemas e emoções negativas e assim, exorcizá-los”. No entanto, consigo contá-las para quem tem paciência para ouvi-las. Encontrar orelhas tem sido o problema. Todos têm tempo para tudo, menos para escutar.

É bom saber-se querida. Melhor ser chamada de querida, esta palavra tão esquecida. Encontrar um Pacífico na vida é ganhar na loteria. Oh, se é! As histórias de amor pelo ser humano e pela arte vividas pelas suas personagens em Querida , Lygia Bojunga, agora me pertencem porque livro bom é assim, fica guardado dentro da gente.

Até nosso próximo encontro, querida!

Fátima


8 comentários:

becalmeida disse...

Oi Fátima
Lygia faz transbordar emoções. É assim, pelo menos para mim. Em mim é tão forte que me causa falta de ar. Não consigo sequer chegar muito perto. Acontece com ela e com Bartolomeu.
Lembro do dia em que você comprou o último Querida, passando a minha frente. Quase morri de inveja!rsrs
Neste dia consegui gravar no meu celular a leitura de Livro pela própria Lygia enquanto as lágrimas corriam e o ar faltava. Acabei comprando 6 vezes Lucas, igualmente maravilhoso.
Obrigada Lygia!
Há livros que são para se ler, outros são para se ter.

Lou Vilela disse...

Fátima, espero que todas as "Querida(s)" encontrem olhos sensíveis como os teus - um presente para quem escreve!

Respondendo ao teu questionamento: não, ainda não tenho editora. Priorizei a criação do blog para não esbarrar primeiramente em entraves burocráticos.

Beijos

Aline disse...

Que lindo, Fátima!!
Adorei seu post; é de uma sensibilidade enorme!
E concordo plenamente com seu primeiro parágrafo. É tão difícil me desvencilhar de certos livros. Gosto de tê-los e saber que posso lê-los sempre que desejar...

Silvana Nunes .'. disse...

Que maravilha de depoimento. Gosto dessas histórias de santos.
Nossa, eu adoro a Lygia Bojunga.
Que maravilha.
Beijo no seu coração.

Josete disse...

Oi Fátima!
Há quanto tempo, heim menina!
passei aqui para uma visitinha... Assisti o vídeo de Natal... Que lindo, obrigada!
Espero que tudo se resolva na sua vida da melhor maneira. Fique com Deus!
Josete

MAIRA MIRANDA disse...

Olá Fatima!

Faço parte dos Blogs Educativos e passei por aqui para conhecer o seu "cantinho". Parabéns você é uma pessoa muito sensível e inteligente. Seu trabalho demonstra isso. Desejo que Deus lhe abençõe e surpreenda com o que seu coração anseia e sonha.

Abraços
http://profmairatarrago.blogspot.com

André Neves disse...

Aproveitando o post.
QUERIDA Fátima,
Quantas leituras e quanta saudade
André

Cristiane disse...

Olá

Fátima, fiquei sabendo que vc esta interessada em utilizar o audacity e .... esqueci qual outro, mas se não me engano é um editor de vídeo...pois bem tbm estou querendo aprender sobre eles talvez possamos nos ajudar.
Abraços

Related Posts with Thumbnails